Dicas

13 de Setembro – No Dia Nacional da Cachaça conheça os principais mitos e verdades sobre a bebida

A bebida, que tem mais de 500 anos de história, está mais popular do que nunca e atualmente pode até mesmo ser produzida em casa 

A cachaça é um dos maiores símbolos do Brasil. Com mais de 500 anos de história, vem acumulando ao longo de gerações e gerações apreciadores em mundo todo. É uma bebida que tem um lugar especial na memória de seus admiradores, que acabaram por a batizar de diversos nomes, como caninha, branquinha, parati, aguardente, pinga e “marvada”.

No dia 13 de setembro é comemorado o Dia Nacional da Cachaça. Para celebrar essa data, os especialistas Leandro Dias e João Almeida, da Escola da Cachaça, selecionaram os principais mitos e verdades sobre a bebida. Confira:

Verdade – É possível preparar a própria cachaça em casa?

Sim. O hobby da destilação em casa ou, em inglês, home distilling vem ganhando cada vez mais adeptos. No meio cervejeiro a prática já é bastante difundida, no entanto, a Escola da Cachaça está expandindo esse horizonte ao ensinar como fazer o próprio destilado em casa, sendo cachaça, whisky, vodca, gim, aguardente de melado, aguardente de frutas e rum. O curso com duração de um mês ensina os conceitos de destilação e o passo a passo de todos os processos. Em 15 dias o aprendiz já consegue fazer o seu primeiro destilado em casa. A cachaça, por exemplo, fica pronta em apenas 24 horas. Para mais informações, acesse: https://escoladacachaca.com.br/mestredosdestilados-inscreva-se.

Verdade – Pequenos goles fazem a diferença na hora de apreciar

Verdade! A cachaça deve ser bebida em pequenos goles e não de uma vez só, como um shot. Como a bebida pode ter sido envelhecida em mais de 30 tipos de madeira, beber a cachaça lentamente permite que o degustador perceba sua complexidade sensorial.

Mito – Cachaça é boa e pinga é ruim

Mito! “Pinga” é apenas mais uma entre as milhares denominações que a bebida tem. Existe o costume de chamar o que é bom de cachaça e o que é ruim de pinga, mas isso não é verdade. A origem desse nome vem do momento de destilação da bebida, quando o vapor se transforma em líquido e começa a pingar no alambique.

Mito – Cachaça importada é melhor

Mito! A verdadeira cachaça é produzida no somente no Brasil. Existe até um acordo internacional que protege a cachaça. O destilado de cana-de-açúcar produzido em outros países é chamado de aguardente.

Verdade – A cachaça deve ser tomada em taça

Verdade! Um dos principais aspectos da bebida é o visual e, só com um copo de vidro, é possível observar sua limpidez, transparência e cristalinidade. O ideal é que a bebida seja tomada em uma taça padrão ISO, vendida em lojas especializadas do ramo.

Mito – Cachaça boa é cara

Mito! Existem muitas opções no mercado com preços em conta e de boa qualidade. Mas é óbvio que uma cachaça bem produzida, que agrega a história de um alambique e invista em marketing tende a ter um preço mais elevado.

Conheça o perfil dos especialistas da Escola da Cachaça:

Leandro Dias

Fundador da Middas Cachaça

Criador da única cachaça com flocos de ouro do mundo e idealizador do 1º Congresso Nacional da Cachaça. Começou no mundo da cachaça aos 13 anos de idade quando servia a “bendita” no bar dos avós em troca de poder escolher os doces que ia comer. Vive diariamente no mundo da cachaça, desde a produção até a venda. Co-autor do livro Os Segredos da Cachaça.

João Almeida

Jornalista e Sommelier de Cachaças

Profundo conhecedor da cachaça, bartender e criador do blog Brasil No Copo, um dos blogs de maior prestígio e alcance mundial do setor. Também é co-fundador do 1º Congresso Nacional da Cachaça e administrador do grupo Apreciadores de Cachaça no Facebook. Co-autor do livro Os Segredos da Cachaça.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.