Quarteto de Cordas da Cidade toca peças de Clóvis Pereira e Renato Camargo, incluindo uma estreia mundial

Dicas

Tradicional grupo de câmara do Theatro Municipal de São Paulo se apresenta no dia 25 de fevereiro, às 20h, na Praça das Artes, com capacidade reduzida, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária e ingresso a R$ 20; concerto também terá transmissão simultânea gratuita pela internet

No ano passado, o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo completou 85 anos de história e sob a temática Conversas brasileiras, a temporada 2021 está repleta de obras nacionais para formação de câmara. No próximo dia 25 de fevereiro (quinta-feira), o grupo formado pelos violinistas Betina Stegmann e Nelson Rios, o violista Marcelo Jaffé e o violoncelista Rafael Cesario, apresentam um repertório com esse olhar. O concerto ocorre às 20h, na Sala do Conservatório, que fica na Praça das Artes, a casa do Quarteto. Aberto ao público e de acordo com todos os protocolos em prevenção à propagação do novo coronavírus, os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e estão à venda exclusivamente na internet.

Mas quem estiver em casa também pode acompanhar ao vivo, de graça, pelo canal do Theatro Municipal no YouTube: youtube.com/theatromunicipalsp. E o que é melhor, o conteúdo fica disponível on demand para acesso posterior, a qualquer hora e sem necessidade de cadastro.

No programa, o grupo de câmara do Theatro Municipal de São Paulo faz a estreia mundial do primeiro quarteto do compositor paulista Renato Camargo, que abre com um movimento de “reminiscências villa-lobianas”. A peça está programada com o Nordestinado de Clóvis Pereira, já estreado pelo Quarteto da Cidade. O veterano de Pernambuco se destacou nos anos 70 por sua contribuição ao Movimento Armorial e, mais recentemente, se firmou como compositor frequentado, entre outros instrumentos, pelo violoncelo de seu conterrâneo e internacional Antonio Meneses.

O Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo foi criado em 1935 por iniciativa de Mário de Andrade, nos tempos em que ocupou o cargo de diretor do Departamento Municipal de Cultura, atual Secretaria Municipal de Cultura, com o intuito de, à época, estimular a música de câmara.

Os concertos presenciais no Theatro Municipal de São Paulo seguem todos os protocolos de segurança e prevenção à propagação do Coronavírus (Covid-19) e as orientações do Plano São Paulo e da Prefeitura Municipal de São Paulo para retomada consciente das atividades. Ao público espectador presente na Sala de Espetáculos, é necessário seguir os protocolos de segurança estipulados em nosso Manual do Espectador, disponível no site .

Programa

Quarteto da Cidade apresenta Pereira e Camargo
Concertos presenciais abertos ao público e transmitidos ao vivo pela internet: youtube.com/theatromunicipalsp

25 de fevereiro, quinta-feira, 20h

CLÓVIS PEREIRA
Quarteto de Cordas em Lá maior “Nordestinado” (23’)

RENATO CAMARGO
Quarteto Nº 1 (22’)

Serviço

Data: 25 de fevereiro de 2021, 20h
Local: Praça das Artes – Sala do Conservatório
Endereço: Avenida São João, 281, Centro, entre as estações de metrô Anhangabaú e São Bento – com acesso também pela rua Conselheiro Crispiniano, 378 (atrás do Theatro Municipal de São Paulo)
Duração: 45 minutos, aproximadamente
Capacidade: 60 lugares (30% do total da Sala em cumprimento ao distanciamento social)
Classificação etária: Livre
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Atenção: não será permitida a entrada de público após o início do espetáculo.

Bilheteria: em função da pandemia de COVID-19 a bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo está fechada por tempo indeterminado. A venda de ingressos está sendo feita exclusivamente pelo site do Theatro Municipal de São Paulo: theatromunicipal.org.br .

Transmissões ao vivo e concertos gravados: as transmissões ao vivo e os concertos gravados poderão ser vistos gratuitamente pelo canal de YouTube do Theatro Municipal de São Paulo: youtube.com/ theatromunicipalsp

Manual do Espectador e Informações sobre os protocolos sanitários do Complexo Theatro Municipal: consulte os protocolos de segurança do Theatro Municipal no site.

Sobre o Teatro Municipal de São Paulo

O edifício do Theatro Municipal de São Paulo é um equipamento cultural localizado na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo. Trata-se de um edifício histórico, patrimônio tombado, intrinsecamente ligado ao aperfeiçoamento da música, da dança e da ópera no Brasil. O Theatro Municipal de São Paulo abrange um importante patrimônio arquitetônico, corpos artísticos permanentes e é vocacionado à ópera, à música sinfônica orquestral e coral, à dança contemporânea e aberto a múltiplas linguagens conectadas com o mundo atual (teatro, cinema, literatura, música contemporânea, moda, música popular, outras linguagens do corpo, dentre outras). Oferece diversidade de programação e busca atrair um público variado.

O Patrimônio Theatro Municipal de São Paulo tem implantação retangular, sendo as medidas aproximadas de 92 metros (fachadas leste e oeste), e 42 metros (fachadas norte e sul). Divide-se basicamente em três corpos com funções distintas: o corpo da fachada – vestíbulo, a escada nobre, salão, portaria, restaurante e dependências da administração; a parte central – sala de espetáculo com seus corredores e galerias; o corpo posterior – palco e suas galerias laterais, camarins e salas de artistas. Composto de 09 (nove) pavimentos, sendo um subterrâneo, 07 (sete) correspondendo aos planos e ordens da ala de espetáculo e/ou administração, e o pavimento referente a cúpula central. Tem área total construída de aproximadamente 17.000m².

Sobre a Santa Marcelina Cultura

Eleita a melhor ONG de Cultura de 2019, além de ter entrado na lista das 100 Melhores ONGs do ano de 2019 e de 2020, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. Criada em 2008, é responsável pela gestão do Guri na Capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim) . O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro , desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro. A Santa Marcelina Cultura assumiu em 1º de novembro de 2020 um Termo de Colaboração emergencial para administração dos objetos culturais vinculados ao Complexo Theatro Municipal de São Paulo .

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.